Acredito que a maior parte das decisões económicas devem ser decididas através das liberdades individuais. Ou seja, as decisões individuais dos agentes económicos são as que melhor resultados trazem tanto para os próprios indivíduos como para a sociedade em geral.

Neste momento, o país discute o aumento do salário mínimo. Muita gente defende o aumento do salário mínimo advogando que ele já é baixo, outros (muito poucos) pedem cautelas no aumento do salário mínimo. Muitas vezes se recorre a comparações internacionais para concluir que o salário mínimo português é muito baixo e por isso a subida do seu valor não só é urgente como trará mais-valias indubitáveis. A minha opinião é conhecida – o aumento do valor do salário mínimo deve estar associado à produtividade.

Uma das melhores formas de analisar a relação entre o valor da oferta do trabalho e a procura do trabalho é comparar o salário mínimo (que é decidido administrativamente) com o valor mediano dos salários – índice de Kaitz. Portugal é o terceiro país da União Europeia em que o salário mínimo é mais expressivo relativamente ao valor mediano dos salários. Ou seja, o salário mínimo português representa um índice maior do que a média dos restantes países da União Europeia, quando comparado com o valor mediano dos salários. Muitos autores consideram que o valor do salário mínimo não deve estar muito próximo do valor do salário mediano – o índice de Kaitz aponta para um rácio superior a 55% relativamente a Portugal.

About J.Pinto

Apaixonado pelas matérias da gestão, da fiscalidade e da contabilidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s