Não tenho nada contra a Grécia. Espero que a Grécia consiga sair o mais rapidamente possível da crise que atravessa, até porque o mal dos outros não nos beneficia em nada.  No entanto, apesar de ter sido eleito um partido que abnega a austeridade, a realidade grega não mudará por decreto.

A Grécia continua a gastar mais do que tem, pelo que necessita de arranjar alguém que lhe empreste a diferença; a economia grega (ou outra qualquer) não se transformará de um dia para o outro; os vícios da sociedade grega (por exemplo, a corrupção) ainda não foram suprimidos. É por isso que, ao contrário do que eu hoje li nos jornais portugueses, a Grécia não virou as costas à austeridade. Quer escolha o caminho da Europa, quer escolha o outro caminho, a austeridade grega veio para ficar. De uma maneira ou de outra, a Grécia ainda tem de penar muitos anos para que o desejado progresso seja atingido.

About J.Pinto

Apaixonado pelas matérias da gestão, da fiscalidade e da contabilidade.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s